NOTÍCIAS

18/09/2017

Prêmio ABDE-BID de Artigos divulga lista de vencedores

A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com o apoio do Sistema OCB, tornam pública nesta segunda-feira (18/09) a lista dos vencedores do Prêmio ABDE-BID 2017 de Artigos. Confira abaixo os ganhadores. Os nomes dos autores e o título dos estudos escolhidos também podem ser conferidos no site www.abde.org.br.  No dia 13 de dezembro será a vez dos ganhadores serem premia dos durante o Fórum do Desenvolvimento, que ocorre em Belo Horizonte, que contará com a presença de nomes como o professor de Cambridge, Ha-Joon Chang, e do especialista em cooperativas de crédito e professor da Universidade de Pula, Milford Bateman.

 

Os vencedores em cada categoria receberão R$ 8 mil, com os segundos colocados sendo agraciados com R$ 4 mil. Os artigos premiados serão publicados em livro, lançado durante o evento.

 

Em sua quarta edição, o Prêmio ABDE-BID de Artigos contou com três categorias: Desenvolvimento em Debate (I), Finanças Verdes (II), e Sistema OCB (III): Cooperativismo de Crédito e Desenvolvimento. A ideia foi estimular a produção de trabalhos acadêmicos dedicados ao financiamento do desenvolvimento, em especial sobre o Sistema Nacional de Fomento (SNF), levando à reflexão sobre o aprimoramento e a importância do fomento produtivo e sua efetividade no desenvolvimento sustentável. O Prêmio teve, nesta edição, 34 trabalhos inscritos, sendo 17 na Categoria I, 5 trabalhos na Categoria II e 12 na Categoria III.

 

Confira os nomes dos vencedores e o título dos trabalhos:

 

Categoria I – Desenvolvimento em Debate

1º colocado: Estrutura produtiva e crescimento: uma análise comparativa de Brasil, Austrália e Canadá, de Larissa Vieira Resende (UFMG/NApq) e João Prates Romero (UFMG/Cedeplar);

2º colocado: Concentração de mercado no sistema financeiro nacional e regulação concorrencial: implicações sobre a eficácia da regulação financeira e o desenvolvimento brasileiro, de Márcio Roberto Moran (USP).

Categoria II – Finanças Verdes

1º colocado: Os mercados de títulos verdes nos países em desenvolvimento e o papel do Novo Banco de Desenvolvimento, de Rafael Antonio Anicio Pereira (USP) e Marcelo Milan (UFRGS);

2º colocado: Expansão pecuária no Brasil e proposição metodológica de cálculo da produtividade em termos de sustentabilidade ambiental, de José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho (IPEA).

Categoria III – Sistema OCB: Cooperativismo de Crédito e Desenvolvimento

1º colocado: Estrutura de diversificação das cooperativas de crédito brasileiras, de Laís Karlina Vieira (IFMG) e Valéria Gama Fully Bressan (UFMG);

2º colocado: Impenhorabilidade das quotas nas sociedades cooperativas de crédito, de Ademir Cristofolini (Schmitt e Cristofolini).

Sobre a ABDE – A Associação Brasileira de Desenvolvimento reúne bancos públicos federais, bancos de desenvolvimento controlados por unidades da Federação, bancos cooperativos, bancos públicos comerciais estaduais com carteira de desenvolvimento, agências de fomento, além do Sebrae e da Finep. Essas instituições compõem o Sistema Nacional de Fomento (SNF). A ABDE define estratégias e executa ações indutoras do SNF, tendo como meta o aprimoramento da atuação de seus associados a fim de que essas instituiç&ot ilde;es financiem com eficiência o desenvolvimento brasileiro.

 

Sobre o BID - O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Criado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e o Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisas de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação a clientes públicos e privados em toda a região. 

Sistema OCB - No Brasil, o movimento cooperativista é representado oficialmente pelo Sistema OCB, com suas três entidades complementares: Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). O Sistema conta com uma unidade nacional e 27 estaduais – localizadas nas capitais de cada estado e também no Distrito Federal. Seu papel é trabalhar pelo fortalecimento do cooperativismo no Brasil. São focos diferenciados e, ao mesmo tempo, complementares. A soma de todas essas forças tem um importante objetivo comum: p otencializar a presença do setor na economia e na sociedade brasileira.